(54)2103.3333

Câncer de intestino pode ser prevenido em 90% dos casos

A Campanha Setembro Verde ganha expressividade em todo o Brasil através da mobilização de profissionais e instituições de saúde, com o apoio da Sociedade Brasileira de Coloproctologia. O alerta para a importância do diagnóstico precoce do câncer de intestino é reforçado pelo tema da campanha deste ano: “Não é sorte, é prevenção e cuidado”. 

 

O câncer colorretal, também chamado de câncer de intestino, é um tumor maligno que afeta o intestino grosso (cólon e reto).  O Instituto Nacional do Câncer estima o aumento do número de casos deste tumor em 6% neste ano em relação a 2017, principalmente entre jovens e adultos.                                                     

Os hábitos alimentares são fatores decisivos para o desenvolvimento do câncer colorretal. “Hábitos como grande ingesta de carne vermelha, processada ou embutidos, baixa ingesta de fibras, sedentarismo, tabagismo e obesidade são os principais fatores de risco para o surgimento do câncer de intestino. É interessante notar que países com alto grau de desenvolvimento vem diminuindo a incidência desse tipo de câncer. Podemos citar como causa dessa diminuição um provável estilo de vida mais saudável da população, mas principalmente o acesso mais fácil aos exames de prevenção e a conscientização da população em realizar esses exames.” explica o médico coloproctologista do Hospital de Clínicas (HC) de Passo Fundo, Dr. Miguel Duda Schmitz.

 

 A realização periódica de exames preventivos, conforme orientação médica, é fundamental para o diagnóstico precoce do câncer de intestino. “Os exames preventivos são essenciais pelo fato de que o câncer de intestino é silencioso, isto é, não causa sintomas até que esteja mais avançado. Sabemos que tumores sintomáticos geralmente são associados a pior prognóstico para o paciente. Assim é essencial que a colonoscopia, principal exame envolvido na prevenção de câncer colorretal, seja realizada aos 50 anos nas pessoas sem nenhum sintoma.” salienta o especialista.

 

De acordo com o coloproctologista este tipo de câncer pode ser prevenido na maior parte dos casos. “A grande vantagem da prevenção de câncer colorretal é que em 90% das vezes, ele surge de uma lesão benigna chamada pólipo, retirando esse pólipo com a colonoscopia evitamos a progressão para o câncer. Quando o câncer colorretal é diagnosticado em estádios iniciais a chance de cura chega aos 90%. A conscientização da população da necessidade de realização dos exames de prevenção é a principal contribuição para diminuirmos a incidência desse tumor maligno.” esclarece Dr. Miguel Schmitz, membro do corpo clínico do HC.

 

A colonoscopia é um dos exames indicados para a prevenção e detecção precoce do câncer de intestino. O procedimento é indicado pelos especialistas a partir dos 40 anos para aqueles que possuem caso de câncer na família. “A colonoscopia é o principal exame de prevenção, ela deve ser realizada aos 50 anos nas pessoas que não tem história familiar de câncer de intestino, se o exame for normal deve ser repetido em 10 anos.” orienta.

 

Além da colonoscopia, outros métodos diagnósticos auxiliam na prevenção do câncer de intestino. “A pesquisa de sangue oculto nas fezes é outra opção para a prevenção, deve ser realizada também aos 50 anos nas pessoas sem história de câncer de intestino na família e quando o resultado for normal, deve ser repetida anualmente. Se o resultado vier anormal, positivo para sangue nas fezes, o paciente deve ser encaminhado para realização de colonoscopia. Ainda podemos citar outros exames que podem ser usados na prevenção de câncer colorretal, como a pesquisa de DNA tumoral nas fezes, a colonografia tomográfica e o enema opaco, cada um com suas peculiaridades e indicações.” evidencia Dr. Miguel Schmitz.

 

O coloproctologista do Hospital de Clínicas relaciona os principais sintomas a que a população deve estar atenta para a investigação deste tumor. “São sinais de alerta para o câncer de intestino: alteração do hábito intestinal (constipação ou aumento da frequência evacuatória), sangramento intestinal (misturado nas fezes ou sangue vivo), perda de peso não explicada, dor abdominal.” pontua.

 

 

Como a colonoscopia é realizada?

Através da colonoscopia o intestino é examinado, utilizando-se um tubo flexível acoplado a uma câmera. Caso algum pólipo seja identificado, ele pode ser removido através deste exame. A colonoscopia é um procedimento diagnóstico rápido e é realizado com sedação. Além dos pólipos, este exame permite a visualização de outras alterações no intestino, como inflamações, por exemplo.

 

 

Ilustração: Sociedade Brasileira de Coloproctologia.


Últimas notícias

Hospital de Clínicas de Passo Fundo - Rua Tiradentes, 295
CEP 99010-260 - Passo Fundo/RS
Tel. (54) 2103.3333
Ver no mapa

Design - Comunicação Social HCPF // Desenvolvimento da aplicação - Metasig

Desenvolvimento Metasig

   Consultas    Exames